Chá de alcaçuz emagrece? 5 benefícios e como fazer!

chá de alcaçuz
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

A raiz de alcaçuz é considerada uma das plantas medicinais mais antigas do mundo.

Ela vem da raiz da planta de alcaçuz, nativa da Ásia Ocidental e do Sul da Europa.

O alcaçuz é usado há muito tempo e pode ser usado de diversas maneiras, desde tratamento para diversas condições até adoçante de doces, bebidas e até remédios.

Apesar dessa história, apenas alguns de seus usos são respaldados por pesquisas científicas.

Além disso, o alcaçuz pode acarretar vários riscos à saúde.

Este artigo examina os usos, formas, benefícios, efeitos colaterais e dosagem recomendada de raiz de alcaçuz.

A maneira mais comum de consumir esse fitoterápico é na forma de chá.

Muito se fala sobre as propriedades adoçantes do alcaçuz, mas nem todos conhecem as maravilhas que essa raiz pode oferecer à saúde.

Hoje você vai conhecer os benefícios do chá de alcaçuz, descobrir para que ele serve, se realmente emagrece, como fazer e quais podem ser seus efeitos colaterais.

Para ficar por dentro de tudo isso, basta continuar a leitura desse artigo!

Afinal, para que serve o chá de alcaçuz? Quais são seus benefícios?

Possui ação antiviral e antimicróbica

A raiz de alcaçuz é usado há séculos na medicina tradicional chinesa, grega e na do oriente médio para aliviar dores de estômago, reduzir a inflamação e tratar problemas respiratórios.

O que faz dessa raiz um fitoterápico tão eficiente contra essas condições é sua ação antiviral e antimicróbica.

Um estudo realizado em 2015 analisou os efeitos dessas propriedades e revelou que o alcaçuz pode enfraquecer vírus e impedir seu desenvolvimento e replicação no corpo humano.

Além disso, os flavonoides presentes na raiz de alcaçuz desempenham um papel importante no tratamento de infecções bacterianas.

Pode melhorar o refluxo e indigestão

A raiz de alcaçuz é frequentemente usada para aliviar a indigestão, o refluxo, dores de estômago e azia.

Em um estudo realizado com 50 adultos que sofriam com indigestão, os participantes tomaram pequenas doses de alcaçuz duas vezes ao dia e tiveram melhorias significativas nos sintomas

O extrato de raiz de alcaçuz também pode aliviar os sintomas do refluxo gastresofágico (DRGE), incluindo a azia.

Uma pesquisa realizada com 58 adultos com DRGE observou que o uso diário de raiz de alcaçuz foi mais eficaz na redução dos sintomas em um período de 2 anos do que o uso de antiácidos comumente usados.

Pode prevenir o câncer

chá de alcaçuz

Alguns estudos realizados com tubos de ensaio demonstram que os efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios da raiz de alcaçuz também podem prevenir contra certos tipos de câncer.

Mais especificamente, o alcaçuz e seus compostos podem retardar ou prevenir o crescimento celular em cânceres de pele, mama, colorretal e de próstata.

Mais estudos com humanos são necessários para confirmar essas propriedades anticâncer, mas, ao que tudo indica, o chá de raiz de alcaçuz pode ser uma ótima alternativa de tratamento natural contra o câncer.

Pode diminuir os níveis de açúcar no sangue

Em um estudo de 60 dias em ratos, a ingestão diária de alcaçuz resultou em melhorias significativas nos níveis de açúcar no sangue e na saúde renal.

Outra pesquisa realizada dois anos depois, também com ratos, os estudiosos chegaram à conclusão de que essa raiz possui efeitos hipoglicêmicos.

Embora esse efeito ainda não tenha sido confirmado em humanos, aparentemente o consumo de raiz de alcaçuz pode, sim, ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue.

Chá de alcaçuz emagrece?

Uma grande parte das pessoas que pesquisam sobre os benefícios do chá de alcaçuz está interessada principalmente em descobrir se essa planta é capaz de emagrecer ou não.

Esse é um assunto um tanto quanto polêmico.

A resposta é: ainda não é possível afirmar com certeza – mas, ao que tudo indica, sim.

Isso porque nem todos os estudos que investigaram essa reação entre o alcaçuz e a perda de peso chegaram a uma conclusão favorável.

Um estudo de 2017 realizado com indivíduos obesos concluiu que alguns componentes da raiz de alcaçuz parecem induzir efeitos favoráveis ao controle da obesidade.

Outro, realizado no mesmo ano, chegou a mesma conclusão, mas também alertou que o consumo de alcaçuz deve ser evitado por indivíduos hipertensos.

Ao que tudo indica, uma das substâncias presentes no alcaçuz é responsável por acelerar o metabolismo, assim ajudando o corpo a queimar gorduras e calorias mais rapidamente e com menos esforço.

Contraindicações e efeitos colaterais do chá de alcaçuz

O uso esporádico do chá de alcaçuz é considerado seguro.

No entanto, grandes doses de alcaçuz devem ser evitadas ao máximo.

O exagero pode causar uma queda nos níveis de potássio e resultar em problemas de saúde gravíssimos, como uma parada cardíaca.

Diabéticos e hipertensos devem sempre consultar seus médicos antes de ingerir o chá de alcaçuz.

Grávidas e lactantes devem passar bem longe desse chá.

Alguns estudos já demonstraram que o consumo de alcaçuz durante esses períodos pode afetar negativamente o desenvolvimento do cérebro de bebês.

Como fazer chá de alcaçuz? Como tomar?

chá de alcaçuz

A receita do chá de alcaçuz é supersimples.

Basta ferver sua raiz. A proporção é de um litro de água para cada duas raízes.

É importante se organizar na hora do preparo e fracionar as raízes, pois esse chá só pode ficar na geladeira por no máximo um dia.

A dose considerada segura é de no máximo duas xícaras por dia.

O ideal é o chá de alcaçuz pela manhã, ainda em jejum.

Mais especificamente, cerca de meia hora antes de fazer a primeira refeição do dia.

O mesmo vale para a segunda xícara, antes do almoço.

E aí, esse artigo te convenceu a adicionar o chá de alcaçuz na sua dieta?

Qual benefício dessa planta poderosa chamou mais a sua atenção?

Conta para a gente aqui nos comentários, nós queremos ouvir sua opinião!

E não se esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos loucos por plantas medicinais!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *