Conheça os 10 piores alimentos para artrite

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

A artrite é uma condição que afeta a vida de mais de 2 milhões de brasileiros e em torno de 1% da população mundial.

Quando não tratada, a artrite pode impossibilitar seus portadores de realizar tarefas básicas do dia-a-dia e trabalhar, ou até mesmo causar deformações.

Basicamente, a artrite é uma doença inflamatória que pode afetar mais de uma articulação.

Existem cerca de 200 a 250 tipos diferentes de artrite conhecidos atualmente, todos com diferentes causas e métodos de tratamento.

Dois dos tipos mais comuns são a osteoartrite (OA) e a artrite reumatoide (AR). Os sintomas da artrite geralmente se desenvolvem com o tempo, mas também podem aparecer repentinamente.

Essa condição é mais comum entre idosos com mais de 65 anos, mas também pode se desenvolver em crianças, adolescentes e adultos. Além disso, é mais comum em mulheres do que em homens e em pessoas com sobrepeso.

Os sintomas mais comuns da artrite incluem dor, rigidez e inchaço nas articulações. Limitações nos movimentos e vermelhidão na pele ao redor da articulação também podem surgir.

É muito importante procurar ajuda profissional caso sinta algum dos sintomas dessa doença. Se não tratada, a artrite – seja ela qual for – pode evoluir para um quadro mais grave e causar deformidades articulares.

Mas muitos portadores acabam confiando cegamente em tratamentos e negligenciam outros cuidados importantíssimos que devem ter para combater os sintomas da artrite.

Por exemplo, a alimentação. Você sabia que certos alimentos podem agravar a inflamação causada pela artrite? Pois é.

Hoje você vai conhecer os 10 piores alimentos para artrite e 3 remédios naturais à base de plantas que ajudam a amenizar a inflamação.

É só continuar a leitura!

Laticínios

O leito e seus derivados estão presente na dieta da grande maioria dos brasileiros. Esses alimentos são ricos em cálcio e muito importantes durante a fase de crescimento, mas devem ser evitados ao máximo por aqueles que sofrem com a artrite.

Segundo um estudo, publicado no Critical Reviews in Food Science and Nutrition, os laticínios podem causar inflamações.

Esse processo inflamatório se dá principalmente pelas proteínas presentes nos leites de vacas, cabras, etc., que muitas vezes não são facilmente processadas pelo organismo.

Além disso, o processo de industrialização desse leite acaba permitindo o acúmulo de resíduos de hormônios e antibióticos nos laticínios, o que agrava ainda mais os processos inflamatórios.

Açúcar refinado

O açúcar refinado deve ser evitado por qualquer um, mas os portadores de artrite devem tomar ainda mais cuidado com ele.

Além de ter perdido mais de 90% de seus nutrientes durante o processo de refinamento (daí vem seu nome), o açúcar refinado ainda conta com substâncias químicas em sua composição por razões estéticas.

Obviamente, nada disso é bom para a saúde, mas esse não é o único problema. O açúcar também entra pra lista de alimentos que causam reações inflamatórias

Um estudo realizado com 1.209 adultos com idades entre 20 e 30 anos revelou que aqueles que beberam bebidas adoçadas com frutose 5 vezes por semana ou mais foram 3 vezes mais propensos a ter artrite do que aqueles que consumiram poucas ou nenhuma bebida adoçada com frutose.

Sendo assim, os portadores de artrose devem ficar bem longe de produtos que possuem açúcar refinado em sua composição.

Adoçantes sintéticos

Após ler o tópico acima, é muito provável que você esteja pensando “Sem problemas! Posso substituir o açúcar por adoçante”. Em partes essa afirmação é verdadeira, mas é preciso muito cuidado na hora de definir um substituto para o açúcar.

Os adoçantes sintéticos devem ser evitados, pois ficam “estocadas” nas células, o que desencadeia processos inflamatórios e ainda contribui para a retenção líquida.

Os principais adoçantes sintéticos são splenda, sacarina e aspartame. No lugar desses, opte por alternativas naturais, como stevia, xilitol e mel.

Glutamato monossódico

Esse nome esquisito pode te fazer pensar que esse ingrediente nunca entrou na sua casa, mas ele é um aditivo que realça sabores muito presente nos produtos industrializados.

O glutamato monossódico pode afetar as capacidades cognitivas, causar agitação extrema, dores, enjoos e elevar os níveis de estresse, mas isso não é tudo.

Esse aditivo também é responsáveis por estimular reações inflamatórias no organismo, por isso os portadores de artrite devem evita-lo a todo custo.

Essa pode parecer uma tarefa complicada considerando que o glutamato monossódico está presente em diversos produtos industrializados, mas basta verificar a lista de ingredientes dos produtos antes de adiciona-los ao seu carrinho.

Álcool

Muitos dos remédios utilizados para tratar a artrite não reagem bem quando misturados com álcool. Ambos são metabolizados pelo fígado, sendo assim, consumi-las juntas resulta numa sobrecarga nesse órgão.

Além disso, a artrite costuma causar dificuldades para dormir, que podem ser agravadas pelo consumo de álcool.

Sal em excesso

Um estudo realizado em 2015v com 18.555 pessoas relacionou a alta ingestão de sódio a um risco aumentado de desenvolver quadros de artrite reumatoide.

Mas isso não significa que os portadores de artrite estão condenados a comer comida sem gosto pelo resto da vida, apenas que devem tomar cuidado com o consumo excessivo de sal.

Como alternativa, é interessante apostar em temperos naturais que realçam o sabor da comida, como o alho, cebola, salsinha, cebolinha, pimenta-do-reino, orégano, etc.

Dessa maneira, você pode saborear uma refeição nutritiva, saudável, sem sal adicional, mas muito saborosa.

Gorduras saturadas

As gorduras saturadas, encontradas principalmente em produtos de origem animal, como queijos, carnes, etc., podem levar à inflamação do tecido adiposo, o que agrava os quadros de artrite.

Alguns estudos indicam que a gordura saturada pode elevar os níveis de LDL, conhecido como “colesterol ruim”, mas ainda há controvérsias entre os pesquisadores da área.

De qualquer maneira, ficar longe desse tipo de gordura é o mais recomendado a se fazer, principalmente se você sofre com os sintomas da artrite.

Ômega-6

O ômega-6 é um tipo de gordura muito encontrado no óleo de milho, girassol, amendoim, soja, etc, composto de ácidos graxos insaturados pró-inflamação, ou seja, que podem desencadear processos inflamatórios.

É importante não o confundir com o ômega-3, que tem o efeito oposto – é uma gordura anti-inflamatória. Ela pode ser encontrada principalmente em peixes de água fria.

Os portadores de artrite devem considerar adicionar o ômega-3 a suas dietas e ficar bem longe do ômega-6.

Farinha branca

A farinha branca é outro alimento que deve ser evitado por todos, mas integra a lista de ingredientes da grande maioria dos pratos consumidos pelos brasileiros diariamente.

Esse carboidrato refinado pode ser metabolizado como açúcar pelo organismo, e nós já contamos todos os malefícios que o açúcar pode te trazer, certo?

Além contribuir para um aumento de peso e aumentar os níveis de índice glicêmico no sangue, a farinha branca ainda pode causar inflamações e inchaços.

Carne vermelha

O que não faltam são estudos que apontam o consumo de carne vermelha como um grande desencadeador de doenças, como insuficiência cardíaca e câncer de intestino.

Só por essas razões você já deveria reconsiderar e reduzir seu consumo diário de carne, mas, para os portadores de artrite, os efeitos colaterais da ingestão desse alimento podem ser ainda mais degradantes.

Segundo um estudo, realizado em 2019, dietas baseadas em carnes vermelhas e processadas são responsáveis por aumentar os níveis de inflamação no organismo.

Conheça 3 remédios naturais para artrite

Agora que você já sabe quais alimentos deve evitar para garantir uma melhora nos sintomas da artrite, precisa conhecer 3 remédios naturais que também podem te ajudar.

Copaíba

O óleo de copaíba é muito utilizado no ocidente graças às suas propriedades que trazem muitos benefícios para a saúde.

Além de possuir uma ação cicatrizante, antisséptica, diurética e laxativa, o óleo de copaíba ainda é anti-inflamatório e pode ser muito útil no tratamento dos sintomas da artrite.

Você pode tanto tomar de 1 a 3 gotinhas de óleo de copaíba diluídas em água diariamente, quanto fazer massagens com ele quando sentir dores provindas da inflamação causada pela artrite.

Arnica

A arnica é uma planta medicinal comumente usada como analgésico para tratar casos de dor, tanto nas articulações quanto em outras regiões, como a cabeça. Isso se dá graças a suas propriedades anti-inflamatórias.

Esse fitoterápico também é responsável por prevenir hemorragias, matar microrganismos e agir como um antioxidante.

Você pode tratar sua artrite com essa planta de diversas maneiras, mas as comuns são em formato de gel, pomada e chá.

Cânfora

A cânfora é produzida naturalmente pelas plantas e muito utilizada em formato de óleo por conta de suas propriedades que oferecem diversos benefícios para a saúde.

Seu uso tópico possui um efeito calmante, analgésico, repelente e, principalmente, anti-inflamatória.

Sendo assim, uma massagem com óleo de cânfora pode fazer amenizar os sintomas da artrite e fazer maravilhas por você.

A artrite pode ser bastante incômoda, mas lembre-se que você não está fadado a conviver com a dor nas articulações.

É possível prevenir e tratar os sintomas dessa condição com mudanças de hábito básicas e tratamentos alternativos.

Não se esqueça de deixar um comentário nos dizendo o que achou desse artigo e compartilha-lo com seus amigos que sofrem com os sintomas da artrite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *