Superalimentos: O que são? Quais os benefícios?

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

Embora a tendência dos superalimentos tenha ressurgido recentemente, a verdade é que esse termo já existe há muitos anos.

Só que conhecemos hoje como superalimento definitivamente não é o mesmo que alguns anos atrás.

Por exemplo, você sabia que o macarrão já foi considerado um superalimento? Pois é. Hoje nós sabemos que ele é rico em glúten, que não é tão bom assim pra nossa saúde, e em carboidrato, que, em outras palavras, é açúcar.

Sendo assim, é natural que muitas pessoas desconfiem dos superalimentos. Será que são super mesmo, ou essa é apenas mais uma jogada de marketing para nos fazer gastar mais dinheiro à toa?

Hoje nós vamos responder essa e outras questões acerca dos superalimentos: o que são? Quais são benefícios e propriedades? Quais são os superalimentos principais?

Ficou curioso(a)? Para matar sua curiosidade, basta continuar a leitura!

O que são os superalimentos?

Infelizmente há muita desinformação acerca dos superalimentos. Sendo assim, antes de explicar o que são, é importante deixar bem claro o que eles não são.

O superalimentos não são soluções milagrosas que substituem qualquer outro tipo de cuidado com a saúde ou tratamento.

Por exemplo, muitas pessoas acreditam que eles são capazes de prevenir o câncer e, por isso, não se preocupam em passar protetor solar.

Outras acham que os superalimentos podem prevenir doenças contagiosas como a gripe e, por essa razão, não se vacinam.

Isso é um perigo – os superalimentos são ótimos para a saúde e podem, sim, diminuir as chances dessas doenças aparecerem, mas isso não significa que outros cuidados com a saúde devem ser negligenciados.

Lembre-se: os superalimentos não são curas milagrosas. Não existe um único alimento que seja a chave para uma boa saúde ou prevenção de doenças.

Agora que já esclarecemos o que não são, está na hora de explicar o que são os superalimentos.

Basicamente, qualquer alimento que tenha uma quantidade maior de nutrientes essenciais para o corpo humano pode ser considerado um superalimento.

Com mais nutrientes surgem mais benefícios e, consequentemente, uma saúde melhor.

Para simplificar, os superalimentos são potências nutricionais, extremamente ricos em micronutrientes como vitaminas, minerais, bem como antioxidantes, enzimas e gorduras saudáveis.

Todos esses nutrientes são essenciais para qualquer ser humano.

Quais são os benefícios dos superalimentos?

Os superalimentos podem oferecer inúmeros benefícios e prevenir diversas doenças diferentes. Geralmente os alimentos possuem propriedades que fazem deles mais potentes contra certas doenças.

Ainda assim, podemos citar, de maneira geral os principais benefícios que os superalimentos trazem à saúde. Dá uma olhada:

  • Melhora no aspecto e na resistência dos cabelos
  • Melhora na saúde da pele
  • Melhora na saúde mental em geral
  • Redução dos níveis de glicose no sangue
  • Regulação dos níveis hormonais
  • Redução do colesterol ruim

Quais são os principais superalimentos?

Em outras palavras, podemos dizer que os superalimentos são os super-heróis do mundo das plantas.

Mas, em vez de combater o crime, os superalimentos abastecem o corpo para que ele possa lutar contra doenças crônicas e outras deficiências de nutrientes.

Embora seja verdade que nenhum alimento sozinho é capaz de curar condições médicas, vários estudos científicos mostraram que certos alimentos proporcionam maiores benefícios à saúde em comparação a outros.

Separamos uma lista com os principais alimentos que, graças a diversas pesquisas, ganharam o título de “superalimento”. Confira!

Açaí

O primeiro item dessa lista de surpreendeu, não foi?

Pois é isso mesmo que você acabou de ler – o açaí, que é amado em praticamente todos os cantos do Brasil, é considerado um superalimento.

Isso se dá pelo seu alto teor de antioxidantes (mais até do que mirtilos e cranberries), que pode ajudar a prevenir sinais de envelhecimento e manter a pele com uma aparência jovem e saudável.

Mas estão falando do açaí “raiz”, viu? E não daquele que é batido com xarope de guaraná e “decorado” com mil tipos de doces diferentes. Esse açaí “nutella” não vai ser benéfico para sua saúde.

Sementes de chia

Essas sementes minúsculas têm um grande poder nutricional. Não é à toa que são consideradas uma “proteína perfeita” – elas contêm todos os nove aminoácidos, além de fibras, antioxidantes e ácidos graxos ômega-3.

E o melhor de tudo é que você pode usar chia em diversas receitas diferentes, desde pudins até pãezinhos!

Frutas vermelhas (ou frutos silvestres)

As frutas vermelhas são uma fonte de alimentação nutricional de vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes. As mais comuns são framboesa, morango, amora, cranberry e mirtilo.

Alguns estudos  já demonstraram a forte capacidade antioxidante que essas frutas têm. Essa ação está associada a um risco reduzido de doenças cardíacas, câncer e outras condições inflamatórias.

Outras pesquisas também indicam que as frutas vermelhas também podem ser eficazes no tratamento de vários distúrbios digestivos e imunológicos quando usadas junto com terapias médicas tradicionais.

Vegetais de folhas verdes

Os vegetais de folhas verdes escuras são uma excelente fonte de nutrientes, incluindo folato, zinco, cálcio, ferro, magnésio, vitamina C e fibras. Os vegetais de folhas verdes mais conhecidos são couve, acelga, espinafre, folhas de nabo, etc.

Parte do que os torna tão incríveis é o potencial de reduzir o risco de doenças crônicas, incluindo doenças cardíacas e diabetes tipo 2

Eles também contêm altos níveis de compostos anti-inflamatórios conhecidos como carotenoides, que, segundo algumas pesquisas, podem proteger contra certos tipos de câncer.

Quinoa

Não é à toa que a quinoa é considerada um dos cereais mais saudáveis.

Nela é possível encontrar proteínas, quantidades suficientes de todos os aminoácidos essenciais, magnésio, fibras, vitaminas do complexo B, potássio, cálcio, ferro, fósforo, vitamina E e vários antioxidantes benéficos para a saúde.

Ah, e nada de glúten!

Dado seu alto teor de nutrientes benéficos, faz sentido que a quinoa seja ótima para a saúde metabólica

Um estudo comparativo realizado em 2004 com humanos descobriu que a substituição pães e massas sem glúten por quinoa reduziu significativamente os níveis de açúcar no sangue, insulina e triglicerídeos.

Conclusão

Os superalimentos são alimentos com valor nutricional muito elevado e que possuem propriedades muito benéficas para a saúde humana.

Apesar disso, estão longe de ser uma cura para toda e qualquer condição médica.

Eles podem melhor significativamente a qualidade de vida, mas NUNCA substituem vacinas, tratamentos para doenças como câncer, diabetes, hipertensão, etc.

E aí, o que você achou desse artigo? Ele esclareceu suas dúvidas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *