Verbena: E seus vários benefícios para a saúde humana

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

Vervain, também conhecida como Verbena, Verbena officinalis e erva-da-cruz, é uma erva perene nativa da Europa e da Ásia.

A planta pertence à família Verbenaceae e tem folhas lobadas e dentadas e flores de cor violeta sedosas.

É usada em todo o mundo como uma planta medicinal devido aos vários compostos benéficos que contém.

Hoje nós vamos analisar os benefícios,  potenciais efeitos colaterais e para que serve a Verbena.

Ficou interessado(a)? Então é só continuar a leitura!

Benefícios da Verbena

A Verbena contém mais de 20 compostos benéficos, incluindo glicosídeos iridóides, flavonoides e triterpenóides. Vamos conferir alguns de seus benefícios?

1) Efeitos antitumorais

Estudos, em tubos de ensaio e em animais sugerem que os glicosídeos, triterpenóides e óleos essenciais da Verbena podem ajudar a inibir o crescimento de tumores e induzir a morte de células cancerígenas.

Em um estudo com camundongos, altas doses de extrato de Verbena de 40 gramas por kg de peso corporal inibiram o crescimento do tumor em mais de 30%.

Os pesquisadores atribuíram essa atividade antitumoral aos verbenosídeos A e B – dois tipos de glicosídeos – e triterpenóides.

Além disso, segundo um artigo publicado no PubMed, citral – um componente chave no óleo essencial de Verbena – possui efeitos anticancerígenos comprovados que causam a morte celular programada.

2) Protege as células nervosas

O extrato de Verbena pode beneficiar certas condições neurológicas ou relacionadas ao cérebro.

Estudos, em ratos mostram que o glicosídeo verbenalina da Verbena – também conhecido como cornina – pode melhorar significativamente os danos cerebrais após um acidente vascular cerebral.

Os estudos explicam que o composto promove o desenvolvimento de novos vasos sanguíneos no cérebro – que fornecem oxigênio – e melhora a função mitocondrial.

As mitocôndrias são responsáveis ​​pela produção de energia das células e precisam de oxigênio para isso.

Sem oxigênio, a produção de energia diminui, levando a problemas na atividade celular regular e potencialmente ao desenvolvimento de muitas doenças do sistema nervoso.

Assim, a verbenalina garante energia suficiente e suprimento de sangue para o cérebro, melhorando sua função após um derrame.

Além disso, o extrato pode proteger contra a perda de células cerebrais ou neurônios na doença de Alzheimer.

Essa pesquisa  sugere que o extrato pode reduzir a toxicidade do peptídeo beta-amilóide, ou abeta. O acúmulo desse composto é um importante fator tóxico envolvido no desenvolvimento da doença.

3) Reduz a ansiedade e a incidência de convulsões

A Verbena é usada há muito tempo na medicina popular como relaxante ou tônico para os nervos, e pesquisas com animais atualmente apoiam esse uso.

Um estudo em ratos determinou que doses de 0,1 a 0,5 gramas por kg de peso corporal de extrato de Verbena tiveram um efeito de redução da ansiedade comparável ao diazepam, uma droga popular usada para reduzir a ansiedade.

Os pesquisadores ligaram isso ao conteúdo da planta de flavonóides e taninos, os quais são conhecidos por possuírem propriedades anti-ansiedade e sedativas.

Esse mesmo estudo concluiu que o extrato pode ajudar a controlar convulsões ou ataques em pessoas com doenças neurológicas, como epilepsia, encurtando sua duração.

Isso foi atribuído à verbenina, um componente essencial da Verbena. A verbenina foi até mesmo preferida em relação ao brometo, um composto geralmente usado no tratamento da epilepsia.

4) Ação antimicrobiana

A resistência aos antibióticos é uma preocupação global crescente. De forma promissora, estudos mostram que a Verbena pode proteger contra bactérias e fungos resistentes a antibióticos.

Em um estudo em tubo de ensaio, o óleo essencial de Verbena foi testado contra dois fungos e sete bactérias.

Ele inibiu o crescimento de todos os microrganismos de uma forma dependente da dose – o que significa que quanto maior a dose, maior o efeito antimicrobiano.

Da mesma forma, outro estudo em tubo de ensaio demonstrou o efeito antibacteriano do extrato de Verbena contra Staphylococcus aureus, Escherichia coli e Salmonella typhi, que são responsáveis ​​por várias doenças infecciosas.

Compostos do óleo essencial de verbena, como citral, são conhecidos por possuir atividades antimicrobianas. Além disso, outros compostos benéficos, como flavonoides, que estão presentes na planta, podem potencializar esses efeitos.

Essa pesquisa  sugere que os flavonoides podem inibir a ligação bacteriana ao hospedeiro e neutralizar a toxicidade contra as células humanas.

Como tomar Verbena?

Imagem: Unsplash/Loverna Journey

Muitos dos benefícios da verbena para a saúde são apoiados pela ciência, mas a planta também é usada na medicina tradicional para tratar outras doenças sem evidências clínicas que apoiem os efeitos.

Por exemplo, na Etiópia, as folhas são usadas para tratar infecções de ouvido, enquanto a raiz é usada para tratar inflamação de amígdalas e ascaríase – uma doença causada pelo parasita Ascaris lumbricoides que pode causar dor abdominal e diarreia.

A planta inteira também é usada para tratar dores abdominais e para proteger contra o mau-olhado, que pode causar infortúnios ou ferimentos.

A Verbena também é tradicionalmente usada como um galactagogo, uma substância que aumenta a produção de leite em mulheres que amamentam.

No entanto, este é outro uso não suportado por evidências científicas.

Geralmente é feito um chá com as flores da Verbena, mas ela também pode ser usada na forma de pomada, pó e até tinta.

Para fazer um chá de Verbena, é muito simples. Basta ferver meio litro de água mineral com uma colher de sopa de Verbena (raízes e flores) por alguns minutos e esperar esfriar.

Depois é só coar e seu chá de Verbena está prontinho para ser consumido!

Precauções

No geral, o uso da Verbena é considerado seguro pela FDA (A Anvisa estadunidense).

Apesar disso, estudos em animais mostraram que consumir extrato de verbena durante a gravidez pode levar a um ganho de peso insatisfatório e anormalidades fetais, como redução da ossificação óssea.

Além disso, ainda não se sabe com certeza se os compostos da erva podem excretar no leite materno.

Portanto, mulheres grávidas devem evitar todos os produtos que contenham Verbena para garantir a segurança de si mesmas e de seus bebês.

A Verbena pode ter interação com medicamentos que você toma e reduzir seus efeitos. Lembre-se de sempre consultar seu médico antes de iniciar o tratamento com qualquer planta medicinal.

E aí, o que você achou desse artigo?

Você já fez uso da Verbena alguma vez? Como foi a experiência?

Conta pra gente aqui nos comentários – sua interação é muito importante para nós!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *